Passeio bate e volta (1 dia) para os Lençóis Maranhenses: Dá para fazer?

Inicialmente, três perguntas e respostas referentes à questão do título:

Pergunta 1: Dá para fazer o passeio bate e volta de São Luis ao Lençóis Maranhenses?
R: Sim.

Pergunta 2: É cansativo?
R: Sim.

Pergunta 3: Vale a pena?
R: COM CERTEZA!

Antes de conhecermos esse roteiro, tínhamos muitas dúvidas se ele existia, se era viável e mesmo se valia a pena. Mas fomos lá e atestamos: vale a pena! Se você tem pouco tempo disponível no Maranhão, o passeio bate e volta, que é oferecido por diversas empresas, é a melhor forma de conhecer o principal atrativo da região: os incríveis Lençóis Maranhenses (que são realmente imperdíveis, é um dos destinos diferenciados do Brasil).

Esse é um daqueles poucos roteiros que são surreais, a beleza do local realmente é fora do comum. Embora seja um passeio bem cansativo (tanto pela viagem, quanto pela caminhada no parque, que não oferece nenhuma infraestrutura no local, além de que o caminhar sobre aquela vastidão de areia desgasta bastante o físico), a experiência é inesquecível.

Vamos relatar a nossa experiência, com os detalhes do roteiro e, claro, as imagens (deslumbrantes).

Contratamos o passeio com a empresa  In Novar Turismo, que conhecemos através da recepção do hotel Brisamar (em São Luis), em que estivemos hospedados. O passeio tem um custo de R$ 150,00 por pessoa.

A aventura começa de madrugada. Por volta das 4:30 / 5:00 da manhã a van da agência pega os passageiros no hotel, na cidade de São Luis, para fazer o trajeto até a cidade de Barreirinhas, que é o ponto de apoio. O trajeto é bem longo, em torno de 260 quilômetros, o que significa uma viagem de mais de 4 horas até lá. No meio do caminho, a van faz uma parada para café da manhã e descanso.

Chegando a Barreirinhas, em torno das 10:00h, a van deixa os turistas na sede da empresa de turismo que fará o passeio até o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. No local, são disponibilizados banheiros para que os turistas possam trocar a roupa de viagem por outra mais apropriada ao passeio.

Do local, os turistas partem em um veículo 4×4 adaptado, que ingressa no parque e passa por uma trilha de areia e terra, bastante acidentada (pois nada lá é asfaltado ou possui estrutura), cruzando também matagais e lagoas. Enfim, uma experiência interessante.

Cruzando a trilha do parque nacional

Cruzando a trilha do parque nacional

Mas a grande expectativa surge quando, após cruzar os diversos quilômetros da trilha, chega-se aos Lençóis.

Chegando aos Lençóis

Chegando aos Lençóis

A visão inicial das dunas já é impressionante. Esse é o ponto em que os veículos param. Dali para frente, somente caminhando. E é válido ressaltar: o parque é natureza total, ou seja, não existem banheiros, lojas, centro médico, bares, restaurantes ou qualquer outra coisa do gênero. Ali, as únicas coisas vistas são: areia, lagoas e alguns turistas.

E após alguns passos, começam a aparecer as lagoas no meio das dunas… fantástico.

lencois 3lencois 4As imagens desenhadas pelo vento na areia, pontuadas com algumas lagoas, em contraste com o céu azul e as nuvens, formam uma combinação espetacular. Só vendo para entender.

lencois 7

lencois 5Segue-se então uma caminhada parque adentro, acompanhada por guias locais, para visitar diferentes lagoas, e com isso experimentar paisagens diversas. No trajeto, o mergulho nas lagoas é a forma de aliviar o calor. É cansativo, mas é muito bom.

lencois 10O passeio é relativamente curto em termos de tempo, poucas horas após a chegada o guia retorna ao veículo 4×4. Mas nem poderia ser diferente: a essa altura, todos já estão encantados com a beleza local, mas ao mesmo tempo cansados pela caminhada. Enfim, é o suficiente. Pouco em termos de tempo, mas muito em termos de sensação.

lencois 6O veículo 4×4 retoma a trilha para sair do parque, novamente atravessando lagoas, areia, matagal etc. Chegando em Barreirinhas, deixa os turistas em uma pousada conveniada, na qual os visitantes podem utilizar a estrutura local para tomar banho, usar a piscina, almoçar e descansar, ficando em torno de 2 horas.

Por volta das 16:30h /17h, o micro-ônibus ou van da empresa pega os turistas na pousada, para então fazer o retorno a São Luis. Novamente, mais 260 quilômetros de distância, com uma parada no meio do caminho para descanso e refeição. Nesse caso, a maioria aproveita o trajeto para dormir e descansar. Chega-se a São Luis à noite, após as 21h. Com isso, conclui-se o passeio.

Resumo da história: viajar quase dez horas, em um único dia, para caminhar por poucas horas nos Lençóis, vale a pena? Na nossa opinião, sim, vale muito!

É possível conhecer os Lençóis de forma menos cansativa?

Evidentemente que o passeio bate e volta é uma experiência meio louca, em razão da distância e (pouco) tempo envolvido. Mas é a alternativa para quem não dispõe de muito tempo.

Para quem pode dispor de ao menos dois dias, costumam ser oferecidos pacotes com hospedagem em Barreirinhas. Com isso, diminui-se muito o cansaço.

Inclusive, é possível contratar a van para ir direto do aeroporto de São Luis para Barreirinhas, sem ficar hospedado na capital maranhense. Muitos se valem dessa possibilidade.

No entanto, é bom afastar a falsa impressão de que, ficando hospedado em Barreirinhas, irá se usufruir muito mais do parque. Na realidade, a visita ao parque para caminhada é a mesma, seja para quem faz o passeio de um dia, ou para quem está hospedado. E o parque fica distante de Barreirinhas, o trajeto envolve vários quilômetros, na trilha realizada pelo veículo 4×4.

No caso, a vantagem de se hospedar é que é possível fazer a viagem de ida em um dia, diminuindo o desgaste. Posteriormente, durante os dias de estada, se faz o passeio de caminhada, tal como mencionado acima, e um segundo passeio, de lancha voadeira por um rio da região (o Rio Preguiças), conhecendo os pequenos Lençóis e indo até o ponto em que rio e mar se encontram. Por fim, retorna-se em outro dia. Desta forma, fica muito menos cansativo, sem dúvida. Mas a experiência e a sensação é praticamente a mesma, em ambas as alternativas.

DESTAQUES

Porque ir: o visual dos Lençóis é deslumbrante e muito diferente, e isso já é motivo suficiente para conhecer.

Quando ir: Em se tratando de Lençóis Maranhenses, esse é uma aspecto da MAIOR importância. Muita atenção à data, para não ficar profundamente frustrado, pois as lagoas existem em um período pequeno do ano. Fora dele, é uma vastidão de areia e dunas, salvo algumas poucas lagoas permanentes. Logo, programe-se para ir entre maio e setembro, que é o período em que as lagoas costumam estar cheias.

O ponto alto: ver e nadar nas diversas lagoas que pontuam as dunas.

A roubada: na nossa opinião, não é um passeio muito indicado para crianças, em especial as menores. Caminhar na areia sob o sol já é cansativo, e se tiver que carregar uma criança ficará ainda mais desgastante. Ainda, a falta de infraestrutura no local significa que não existem banheiros, trocadores e lanchonetes. Não que não seja viável levar crianças, mas o ambiente não é o mais apropriado. A alternativa, nesse caso, é, após a chegada ao parque, ficar apenas na primeira lagoa, próxima do veículo, mas abrindo mão, nesse caso, de fazer a caminhada. É uma possibilidade para crianças, idosos e pessoas com problemas de locomoção, que podem assim aproveitar de alguma forma o local.

Dica final: Em razão de se tratar de um parque nacional, sem infraestrutura, é importante se programar antes de sair de Barreirinhas, no sentido de levar água da cidade para consumir no parque, utilizar banheiros, vestir roupas adequadas, se alimentar etc.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Brasil, Ecoturismo, Imagens com as etiquetas , , , , , , . ligação permanente.

7 respostas a Passeio bate e volta (1 dia) para os Lençóis Maranhenses: Dá para fazer?

  1. Pingback: Foto do blog publicada na Folha de São Paulo | Alfinetando o mapa

  2. Pingback: Concluindo: Dicas, imagens e roteiros – São Luis e Lençóis Maranhenses | Alfinetando o mapa

  3. Pingback: Relembrando os melhores posts de 2013 | Alfinetando o mapa

  4. Pingback: Três passeios malucos pelo nordeste brasileiro | Alfinetando o mapa

  5. Pingback: Concluindo: Dicas e roteiros de passeios no nordeste brasileiro | Alfinetando o mapa

  6. Luís diz:

    O Brisamar é um bom hotel? Vale a pena ficar hospedado nele?

    • jj2179 diz:

      Olá Luís,
      Gostar deste hotel vai variar muito da sua expectativa. Na época em que estive lá, este foi um hotel com custo benefício mediano. Tinha localização razoável, frente ao mar, mas numa região não muito boa para banho e opções limitadas para refeições fora do hotel. A estrutura até que era grande, com boa área de piscina. Já os quartos eram muito simples e a decoração um pouco velha. Para ficar poucos dias, como ponto de partida para os Lençóis, ele é aceitável, mas se quiser usar as praias de São Luis, pode ser melhor buscar uma localização com uma praia melhor.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s